Páginas

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Atores Coreanos: Lee Min Ho

Annyeong, queridos leitores! Hoje vou fazer uma postagem um pouco diferente, estreando um novo tipo de post sobre atores ou atrizes coreanos. Para começar vou fazer uma postagem sobre um dos mais famosos atores do universo doramático: Lee Min Ho.


Boys over flowers 



Se você é fã do Lee Min Ho muito provavelmente já assistiu esse dorama de 2009. Trata-se da versão coreana de Hana Yori Dango, dorama japonês que por sua vez foi baseado num mangá de mesmo nome. BOF é o trabalho que alavancou a carreira do ator. 
O dorama conta a história de Jan Di uma garota pobre que acaba ganhando uma bolsa (após um ato heróico) numa escola frequentada por ricos. O colégio é comandado pelo F4 um grupo composto pelos mais ricos, mais bonitos e mais populares garotos da escola e é liderado por Gu Jun Pyo. 
Para muitos dorameiros foi a porta de entrada para o universo dos doramas, mas para essa que vos fala sempre foi um dos doramas que eu menos gostei. Pra falar a verdade tive muita relutância em assistir porque logo de cara não gostei da sinopse. Me forcei a ver já que mvi uitos e muitos comentários positivos, mas não cheguei ao fim porque realmente não é uma história que eu curta


I am Sam 



Esse é o dorama mais antigo com o Lee Min Ho que eu já assisti (de 2007) e é um dos meus doramas preferidos com ele. Apesar do personagem do Min Ho ser bem pequeno e não ter tantas cenas. Achei que o personagem era carismático mesmo assim e engraçado. Na minha opinião o Min Ho devia investir em personagens mais engraçados e divertidos, acho que ele recuperou seu lado mais cômico no último trabalho.
A história é sobre um professor tímido, Jang Yi San que vai ter que ensinar a filha única, Yoo Eun Byeol, de um perigoso líder de uma gangue e conta o dia-a-dia dos alunos e professores do colégio.

Personal Taste


Personal Taste foi o primeiro dorama com o Lee Min Ho que eu assisti (na época nem sabia que era famoso rsrs). É um dorama de 2010 e o primeiro depois do sucesso de BOF. Foi também um dos primeiros doramas que eu assisti e um dos que eu me interessei de cara por causa da sinopse. Logo que eu li, fiquei curiosa e fui assistir.
O dorama conta a história de Jeon Jin Ho, um arquiteto com mania de limpeza que para preparar um novo projeto pretende morar numa casa planejada por um famoso arquiteto. Mas isso não vai ser tão fácil já que a filha do tal arquiteto, Park Gae In, vive na casa e só aceita alugar um quarto para Jin Ho porque acredita que ele seja gay.

City Hunter


City Hunter é o único dorama dessa lista que eu nunca assisti nenhum episódio. É um dorama de ação e já vi comentários dizendo que seria uma das melhores atuações do Min Ho, não assisti então não posso dizer se concordo.
Lee Yoon-Sung (Lee Min-Ho) trabalha na casa azul para a equipe nacional da rede da comunicação. Ele se formou em M.I.T. Nos EUA e possui habilidades de elite como um I.T. engenheiro. Na Casa Azul, Yoon-Sung conhece Kim Na-Na (Parque Min-Young), que trabalha como guarda-costas lá. As duas pessoas caem umas para as outras, embora Yoon-Sung tenha sido avisado para não se apaixonar. Um plano elaborado para a vingança é sua missão final. (sinopse asianwiki)

Faith


Faith é um dorama de 2012,e doi o segundo do Lee Min Ho que eu assisti. É um dorama com uma história interessante e abrange várias temáticas: Viagem no tempo (que teve seu auge em 2012, com outros doramas como Rooftop Prince, Queen In Hyun's Man e Dr. Jin), histórico e médico. Teve seu enredo provavelmente alterado depois de acusações de ter plagiado o já citado Dr. Jin devido a grandes semelhanças. 
Faith se passa em Goryeo, uma dinastia da Coréia, e conta a história de Choi Young (Lee Min Ho), um guerreiro responsável por proteger o rei de Goryeo. Quando a rainha é ferida, Choi Young viaja no tempo e rapta Yoo Eun Soo (Kim Hee Sun) para que ela possa salvar a rainha. Eun Soo é uma cirurgiã plástica de 33 anos, que abandonou a cirurgia geral, por não ter bom retorno financeiro. O dorama mostra o romance dos dois, como Eun Soo usa seus conhecimentos médicos numa época remota, e como Choi Young protege a família real.

The Heirs 


The Heirs é um dorama de 2013 e é considerado um grande sucesso e um dorama muito popular. Além do Lee Min Ho, o dorama é protagonizado por Park Shin Hye, outra atriz muito popular (provavelmente vocês já a conhecem). Novamente fui do contra e não gostei da sinopse, apesar de muitos e muitos comentários positivos relutei em assisti. Quando finalmente dei uma chance pro dorama até curti os primeiros episódios que se passavam nos Estados Unidos. Achei que iria gostar, mas no fim minha primeira impressão estava certa e não gostei mesmo, não consigui terminar. 
O dorama conta a história de Kim Tan (Lee Min Ho), herdeiro de uma família rica, que vive nos Estados Unidos. Lá ele conhece por acaso Cha Eun Sang (Park Shin Hye) uma garota pobre que foi visitar sua irmã, que mentiu sobre estar se casando para pedir dinheiro para a família. Sem um lugar para ir, Eun Sang  acaba ficando na casa de Kim Tan, depois de ter seu passaporte confiscado. 

The Legend of The Blue Sea 


TLOTBS é um dorama de 2016, protagonizado por Lee MIn Ho e Jun Ji Hyun, de longe meu dorama favorito do Lee Min Ho, e um dos meus favoritos do fim do ano. Como já tinha comentado nesse post, acho que nesse dorama o Min Ho soube usar muito bem o seu lado cômico (principalmente nos primeiros episódios). Além disso, teve uma química muito boa com a Jun Ji Hyun, outra atriz muito popular e muito carismática.

Não vou colocar sinopse porque já tenho post sobre esse dorama aqui no blog e deixei link aqui.

Então é isso, leitores espero que tenham gostado dessa postagem e desse formato. Se vocês curtiram deixem um comentário aqui embaixo. Beijos e até a próxima 

sábado, 21 de janeiro de 2017

Our Times

Annyeong, leitores! Como vocês estão? Hoje vim fazer uma resenha sobre um filme taiwanes que literalmente acabei de assistir e o que posso dizer? Amei.



Sinopse: O filme conta a história de Lin Truly uma mulher que a princípio parece ter tudo o que se sonha ter: sucesso na vida profissional e amorosa, até que ela percebe que na verdade se tornou uma pessoa diferente do que sonhava quando adolescente. A partir dai voltamos no tempo e acompanhamos Truly em sua adolescência, com sua quedinha pelo menino mais popular da escola, Ouyang, a inveja que sente da menina mais popular, Min Min, e como ela acaba se tornando "amiga" do gangster da escola, Taiyu.

Bem, pra começar tenho que dizer que comecei o filme sem grandes expectativas, digo, a história parecia bem clichê e achei que pudesse dar uma ou outra risada, mas a medida que o filme foi avançando fui me surpreendendo com a profundidade com que chegavam algumas cenas. Como se trata de um filme então corro o risco de dar alguns spoilers aqui na resenha vou tentar fazer apenas uma breve apresentação dos personagens e da história sem falar de mais rsrs.

Personagens:

Lin Truly:
Acho que nunca vi uma frase mais verdadeira do que essa: "Se uma garota diz que nada está errado é porque algo está errado"

A Truly é uma personagem bem comum, com uma vida comum de uma adolescente, até receber uma carta corrente (engraçado como as correntes eram feitas antes da internet). Ela era muita ingênua e logo acredita que tudo de ruim vai acontecer com ela se não enviar a tal carta para cinco outro pessoas. 
Não esperava muito da personagem, apenas que ela fosse divertida e render algumas cenas cômicas, mas vê-la crescer ao longo do tempo foi bem legal. Depois de uma cena específica (spoiler) quando ela enfrenta o diretor mala e coloca a saia acima do joelho, na minha opinião de longe a melhor cena do filme (fim do spoiler) entendi porque ela se sentia mal por ter se tornado uma pessoa que se submetia a uma vida não tão boa. Achei que não daria nada pela protagonista, mas no final realmente gostei dela.

Taiyu

Outro personagem que achei que só seria legal em cenas cômicas, mas que era bem mais "profundo" do que imaginei no começo. Ele é o líder de uma gangue do colégio, está sempre se envolvendo em brigas. Gostei de ter havido uma explicação para o Taiyu ter "perdido" o rumo da vida, achei que ele seria um gangster porque sim e não haveria uma grande explicação. 
As cenas com a Truly eram bem legais e eu gostava de quando ele a convência a fazer algo dizendo: "No futuro você vai se arrepender de nunca ter feito isso". Acho uma lógica interessante e mostrava como ele se importava de como ela se sentia e não estava apenas forçando-a fazer algo que não queria para irritá-la.

Ouyan

Acho que um dos personagens mais clichês, o garoto mais popular do colégio, praticamente perfeito: bonito, inteligente, simpático e de quebra jogador de basquete. Achei que até o final fosse ou amar ou odiar o menino, mas no final do final ainda não tinha opinião muito clara sobre ele. É claro que ele foi importante para o desenvolvimento da história (spoiler) Como na cena em que ele conta para a Truly sobre o que aconteceu com o Taiyu ou quando ele é o primeiro a apoiar a Truly quando ela enfrenta o diretor (fim do spoiler), mas enfim o ator não me convenceu muito, acho que só não fui com a cara dele mesmo rsrs.

Min Min

Min Min é outra personagem clichê: menina mais bonita e popular do colégio, praticamente perfeita e que todos os meninos amam e as meninas invejam. Acho que a personagem mais apagadinha do filme. Digo, ela era importante para desenvolver a história, mas se ela não tivesse nenhuma fala acho que não faria diferença. Outra personagem que eu esperava odiar ou amar até o final do filme, mas nem isso. (Spoiler) Tipo fiquei esperando um momento em que ela faria algo pra odiar a menina, mas quando é revelado que foi ela que mandou a tal carta pra Truly, depois de tanto tempo já não importava muito. Se tivessem dado mais destaque para isso de repente eu ficaria com raivinha dela, mas nem isso deu. (fim do spoiler). 

Opinião:
Bem como disse logo no começo da resenha, amei o filme e não esperava gostar tanto. Foi divertido como esperado, mas também teve um desenvolvimento bem legal dos protagonistas ao longo da história, uma ou outra "surpresa" - não sei se tava óbvio e eu não percebi ou foi mesmo supreendente algo no final do filme, assistam e me contem. 

Só um pequeno comentário, quando li na sinopse que a menina sonhava em casar com seu ídolo e que mostrava a adolescência dela, lembrei imediatamente da Shi Won de Answer Me 1997, mas ao longo do filme percebi que o enredo não era tão parecido. 

OBS: Gente, não tinha reparado, mas fui rever uma das últimas cenas e reparem que tem uma referência a um poema de Pablo Nerudo, aquí te amo. Muito fofo (surtando um pouco kkk).

Lição de Vida:
Uma coisa que eu acho legal é quando depois de assitir a um filme, além de se divertir e se emocionar a gente consegue tirar uma lição daquilo tudo. Em Our Times, logo no começo do filme ouvimos a Truly dizer: "Ninguém nos avisa quando somos jovens que no futuro podemos ter um emprego não tão bom, um relacionamento não tão bom e uma vida não tão boa", mas no final do filme ela parece se dar conta de que é preciso mudar e tomar as rédias da sua vida e só aceitar aquilo que acreditamos merecer. Não precisamos nos sujeitar a uma vida assim. 




Enfim, eu curti muito esse filme, e fazer essa resenha. Espero que tenham gostado do post e se animem a assistir. Beijos e até a próxima.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Weightlifting Fairy Kim Bok Joo

Annyeong leitores, como vocês estão? Faz um bom tempo que eu não posto uma resenha completa de um dorama. Em parte porque estou sem tempo para escrever post mais longos e que exigem um pouco mais de tempo como as resenhas. E em parte porque, confesso, há algum tempo não termino um dorama completo (mesmo os doramas que começo a assistir com a maior empolgação perco um pouco do interesse e acabo ficando sem ver os últimos dois ou três episódios). Mas enfim dessa vez vou fazer a resenha de um dorama que acabei de terminar de assistir (ficou redundante?): Weightlifting Fairy Kim Bok Joo




Sinopse: O dorama conta a história de Kim Bok Joo uma jovem halterofilista (levantadora de peso) popular entre seus amigos, mas que não tem nenhum interesse em começar um relacionamento até se apaixonar por um médico especializado em perda de peso. Ela acaba reencontrando um amigo de infância Jung Joon Hyung que agora se tornou muito popular entre as mulheres e um nadador de talento, mas que não vence competições oficiais devido a um trauma. A ex namorada de Joon Hyung é Shi Ho, uma ginasta que sofre com as pressões que o esporte exige.

Não sei se a sinopse ficou muito boa, mas a ideia é essa, o dorama vai acompanhar esses jovens atletas durante o dia-a-dia de treinos, competições e tudo o mais. Bem não sei se já fiz uma resenha nesse formato, mas pra facilitar vou dividir o post em pontos positivos e negativos do dorama.


Pontos Positivos:



Drama leve e divertido:


Se você é uma daquelas pessoas que não curte dramas muito pesados ou que acabou de sair de um e quer ver uma história mais leve e engraçada WFKBJ é uma ótima pedida. O dorama acompanha o cotidiano de jovens estudantes e apesar de cada um ter seus próprios problemas, o que sobressai durante o drama é o modo como os personagens encaram a vida de maneira otimista e esperançosa. A relação entre os personagens também é muito gostosa de se ver e nos primeiros episódios a rivalidade entre os times de levantamento de peso e as ginastas rendem umas cenas bem engraçadas. 

Ótimos Personagens Secundários:


Esses três quando se juntavam eram ótimos rsrs

Algo que contribui muito para o clima leve acima citado é com certeza os personagens secundários. A família da Bok Joo com todo o orgulho e apoio que eles davam a ela. O treinador da Kim Bok Joon e seus discursos intermináveis e a treinadora que sempre tinha que colocar um ponto final rsrs. Além, é claro, das meninas que formam o trio junto com Bok Joo, a animada Nan Hee e a mais sensata Seon Ok. E não podemos esquecer do Tae Kwon, o amigo festeiro e colega de quarto do Joon Hyung.


Romance SUPER FOFO


O romance em WFKBJ demora um pouco pra rolar, mas quando acontece, gente, é uma coisa muito fofa. Eu realmente adoro como o relacionamento deles não é facilmente abalado por mal entendidos como normalmente acontece nos doramas (spoilerzinho) exceto no último episódio, mas acaba tudo se resolvendo rapidamente (afinal era o último episódio) (fim do spoiler). Outra coisa que eu gosto na relação dos dois protagonistas é que, mesmo antes deles perceberem que estavam apaixonados, os dois mantinham uma amizade incrível. Apoiavam um ao outro nos momentos de dificuldade. A Bok Joo ajudava a animá-lo a superar o trauma e o Joon Hyung apoiava a Bok Joo em praticamente todos os momentos de dificuldade.

Protagonista que não é um Jerk



No começo do dorama jurei que o Joon Hyung ia ser um daqueles personagens que tratam super mal a mocinha. Me enganei redondamente, na verdade acho que no primeiro episódio o Joon Hyung tem motivos de sobra para não gostar da Bok Joo (que acaba o confundindo com um pervertido e causando alguns problemas para ele). Depois que ele lembra de conhecer a Bok Joo desde criança, começa a implicar com ela, como uma pequena vingança. Apesar de toda a implicância fica super na cara que ele está só brincando e que realmente gosta dela (até então como uma amiga) e a relação deles vai evoluindo a cada episódio.


Não há (quase) nenhum personagem sem noção

Se você não aguenta mais ver aquelas sogras que odeiam a namorada do filho sem razão, aqueles parentes que brigam há anos por uma herança, enfim personagens sem educação e que julgam os outros por aparência ou condição financeira, fique feliz porque não há nada disso em Fairy Kim Bok Joo. 
Talvez a única exceção seja a Shi Ho que tem momentos em que fica super sem noção (pequeno spoiler) (ela começa como uma pessoa super simpática, passa a ser uma bitch, mas se redime no final do dorama, além disso é um pouco compreensível que com toda aquela pressão sobre ela, a Shi Ho pirasse um pouco) (fim do pequeno spoiler).


(OBS: Os pontos negativos tem alguns spoilers, principalmente o que fala sobre o final então não leiam pelo menos esse ponto do post se vocês ainda não viram o kdrama ^.^).



Pontos Negativos


Falta de abordagem mais profunda de algumas questões:

Bem, a maioria dos personagens tinha algum tipo de problema, que acabavam de alguma forma prejudicando tanto a vida de atleta quanto a pessoal. O trauma do Joon Hyung, é um dos poucos problemas que é abordado de maneira mais séria, mas mesmo assim, a partir de certo momento não fica muito claro como ele acaba lidando com ele.

Já os demais personagens que sofrem com problemas psicológicos, parecem ser deixados de lado. Shi Ho tem desde os primeiros episódios demostrado sérios problemas psicológicos, alimentares, familiares, financeiros, mas as cenas dela parecem ficar bem soltas e tudo acaba se solucionando do nada. Já a Seon Ok, que tem alguns problemas familiares de repente retorna para a faculdade sem uma grande explicação ou uma grande solução. 

Final dos personagens Secundários:

O final dos protagonistas foi como todo o dorama fofo e leve e todas aquelas cerimônias de formatura foram muito divertidas. Porém, senti falta de um foco maior nos personagens secundários. Uma das coisas que mais senti falta foi o final da Seon Ok e o Tae Kwon, que não fica muito claro se os dois ficaram juntos como um casal. Ou se eles continuaram apenas amigos.
Não sei se foi erro de interpretação meu, mas também não entendi bem o fim do Tae Kwon. Afinal ele estava servindo os dois anos obrigatórios no exército durante o salto do tempo de dois anos? Ou ele ia começar a servir depois da formatura? Ou ele abandonou a natação e decidiu se tornar militar?
Outra coisa que achei um pouco estranha foi o fim dos treinadores. Eles só formaram um casal oficialmente depois do salto de dois anos? Ou eles apenas manteram segredo por tanto tempo (a julgar pela reação de surpresa dos alunos)? 

Não que houvesse muita coisa pra ser resolvida no último episódio era um dorama bem simples e sem grandes complicações, mas mesmo assim senti falta de um final mais concreto.

Conclusão


Como devem ter percebido, há muito mais pontos positivos do que negativos nesse dorama. Ele é muito leve (já disse isso várias vezes, mas não encontro outra palavra para descrever essa série), divertido, não é carregado de drama desnecessário, nos faz refletir sobre todas as dificuldades da vida dos jovens atletas e também adimirar quem se dedica ao esporte. Enfim, Weightlifting Fairy Kim Bok Joo é o tipo de dorama que você começa a assistir sem grandes expectativas, mas acaba conquistando por toda a sua simplicidade, personagens cativantes e momentos fofos e divertidos.

Então, queridos leitores é isso, acho que ficou meio longo o post, mas tentei descrever da melhor maneira o que achei do dorama. Se você também foi conquistada pela Bok Joo e seus amigos deixe nos comentários o que achou do dorama e da resenha também. Beijos e até o próximo post!

sábado, 17 de dezembro de 2016

O que estou achando de... The Legend of Blue Sea

Annyeong, leitores! Como vocês estão? Faz tempo que a blogueira aqui não vos escreve, mas com a correria da faculdade nesse ano de 2016 foi bem difícil (praticamente impossível) manter o blog atualizado. Talvez eu faça um post explicando melhor toda essa dificuldade para manter o blog em dia, mas enfim vamos ao que interessa. Meu dorama xodozinho (what?) do momento: The Legend of Blue Sea!




Ai vai nossa queridinha de sempre Sinopse:


O dorama é baseado num conto de um magistrado da Era Jeoson e é nessa dinastia que se passa a primeira história. Dam Ryeon (interpretado pelo Lee Min Ho) chega a uma vila e se torna o administrador (?) do local. Logo ele encontra uma sereia chamada Se Wa (interpretada por Jun Ji Hyun) e ele percebe que há laços que os ligam. Já em 2016, Heo Joon Jae (Lee Min Ho) é um homem que vive de aplicar golpes e encontra uma mulher estranha (Jun Ji Hyun) numa viagem à Espanha.


Não sei se a sinopse ficou muito boa (acho que não), mas vocês entenderam mais ou menos a lógica da coisa, né? kk Bom pra deixar o post mais organizado vou apresentar algumas características dorama que me chamaram a atenção.


Duas Histórias em Uma
A princípio quando comecei a acompanhar o dorama achei que a primeira história teria um começo e fim logo nos primeiros episódios (como duas fases bem determinadas) o que na verdade não aconteceu. Se isso foi bom ou ruim? Bem acho que um pouco dos dois. Eu particulamente gosto da dinâmica do nosso casal atual, gosto do Lee Min Ho interpretando um personagem mais politicamente incorreto e gosto da Jun Ji Hyun vivendo uma personagem meio digamos desmiolada? Esses dois me lembraram um pouco a dinâmica do Cha Dae Wong e a Gu Mi Ho de My Girlfriend is a gumiho (um dos meus casais favoritos de kdramas) e por isso toda vez que eu estava empolgada com o século 21 e surgia Jeoson na tela não curtia muito. Porém o casal de Jeoson tem toda aquela vibe romântica e dramática todo aquele história de amor impossível que também tem o seu charme. Além disso, sem querer da spoiler, mas a medida que você for acompanhando o dorama as duas histórias vão tendo uma relação maior (assistam e vocês entederão).

Elenco e Personagens


Lee Min Ho

Embora o Lee Min Ho seja muito querido pelas fãs eu particularmente não sou muito fã dele, ou melhor não era até assistir TLOBS. Portanto, o fato dele estar no elenco foi um estímulo para que eu desse uma chance e tentasse finalmente encontrar um drama dele que eu realmente adimirasse sua atuação.


Aqui o Lee Min Ho me conquistou principalmente pela parte mais cômica de um dos personagens, o Heo Joon Jae. Foi muito divertido acompanhar as fugas do primeiros episódios e como ele sempre achava que estava sendo um herói. Também gostei dele não ser um típico personagem que se acha superior por ser rico ou vir de uma família rica. Em alguns momentos ele fazia algumas coisas que me faziam passar certa raiva, mas no fundo dava pra perceber que na verdade ele era mais uma boa pessoa (como a personagem da JI Hyun costuma dizer) que acabou fazendo coisas não tão boas ao longo do tempo e no fim ele consertava as burradas que ele fazia. 

Bem, o outro personagem do Min Ho não me cativou tanto assim, ele é aquele típico personagem que sempre ta lá pra salvar a mocinha do vilão. Não achei ele tão digamos... interessante, mas é um personagem que está de acordo com o contexto. De qualquer forma, eu gosto de como ele é bem mais sincero quanto aos seus sentimentos pela Se Wa do que o Joon Jae quanto a Shim Cheong (Ji Hyun no século 21). 
Falando da personagem da Jun Ji Hyun vamos falar um pouco mais dela e das suas personagens.

Jun Ji Hyun

Com a Jun Ji Hyun, eu tenho mais ou menos a mesma opinião quanto a atuação dela, apesar de achá-la carismática e fazer trabalhos legais (como no clássico My Sassy Girl) nunca me surpreendi com a atuação em si dela. Em The Legend of Blue Sea, acho que ela também fez bem nas suas duas personagens, assim como o Min Ho.

O que posso falar da Shim Cheong? É um dos meus tipos de personagem favoritos: alguém que parece que veio de outro mundo (no caso veio do oceano) e que começa a se adaptar ao século 21 o que nos rende momentos divertidos. Gosto da pureza desse tipo de personagem que confia de verdade na outra pessoa e essa confiança é tão grande que o outro, no caso o Joon Jae, acaba não conseguindo decepcionar. Parece meio contraditório, mas ao invés da Cheong confiar no Joon Jae porque ele é confiável o Joon Jae se torna confiável por causa de toda a confiança que ela deposita nele, e esse é o meu tipo de relação favorita num kdrama.

A personagem de Jeoson, Se Wa, é como o Dam Ryeong uma personagem mais séria e menos cômica. Entretanto, ela também tem sua pureza que ela demonstra no seu amor puro (pureza, puro rsrs) em relação ao Dam Ryeong. Também é uma dinâmica interessante e provavelmente mais romântica do que a do casal da Seoul atual.

Fantasia
Então, leitores, não sei se vocês perceberam, mas eu sou uma fã de fantasia em dorama. Eu adoro todas essas histórias de seres místicos como sereias, gumihos, fantasmas, goblins (essa vai render outro post) e tudo o mais. Eu sempre fico com um pé atrás quando a história é aquele basicão mulher pobre e CEO ou menina pobre e menino herdeiro da maior empresa do país, então quando tem algo há mais como um ser mágico ou uma viagem no tempo sempre me empolgo mais para assistir. Com Legend of The Blue Sea não foi diferente, quando fiquei sabendo que a temática seria sereia corri para assistir. E é claro até agora (porque ainda está em transmissão, gente) o dorama não me decepcionou e toda essa questão de os dois serem de mundos diferentes rende ao mesmo tempo cenas super divertidas, com a Shim Cheong se adaptando a um novo mundo, como cenas dramáticas e até românticas quando eles percebem todo o desafio de viver esse amor e como ele deve ser forte para superar as diferenças entre eles.

Gente, o post era pra ser curtinho só pincelando sobre o dorama, mas como sempre acabei falando muuuuitto mesmo. Espero que vocês continuem acompanhando o blog e espero que não se zanguem com esse meu sumiço.

Ah e assistam The Legend Of Blue Sea quando puderem recomendo muito.

Beijos, chingus e até o próximo post.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Doramas em transmissão

Annyeong, leitores! Fiz esse post para comentar os doramas que estou assistindo e ainda estão em transmissão. Na verdade, no começo eu só assistia dramas concluídos, para evitar o sofrimento de ter que esperar os episódios serem lançados, traduzidos para o inglês, para o espanhol e só então para o português. Mas de uns tempos pra cá (começou com My Love From The Star) comecei a acompanhar os dramas em transmissão. Isso tem seu lado ruim é claro, mas também tem seu lado bom. É possível, por exemplo, comentar sobre os lançamentos e não ter que tentar ao máximo fugir dos spoilers. Também tem o extra de que, se assim como eu você não aguenta esperar pelas legendas em português, pode-se treinar o inglês assistindo os subitítulos em inglês mesmo.

Mas vamos ao que interessa, os doramas em transmissão:

Comecei 2016 assistindo Cheese In The Trap, apesar de não ter me interessado tanto pela sinopse, vi muitos comentários positivos então dei uma chance. No começo, gostei muito daquela vibe meio misteriosa. Não da pra saber se o Sunbae é estranho ou se a Hong Seol que é paranóica. Porém, depois de um tempo perdi o interesse. Talvez por ser baseado em um webtoon, parece que há um somatório de pequenas histórias e não uma história só com início, meio e fim, como a maioria dos kdramas. Além disso, muitos personagens vão sendo introduzidos, mas parece que não há espaço para todos então alguns personagens aparecem e dão aquela sumida. Não sei, não gostei muito. Talvez dê uma chance para ele mais tarde, mas por enquanto dei uma pausa, apesar dos personagens serem interessantes, senti falta de uma história base.
Doramas que você não pode perder em 2016 de jeito nenhum!



Comecei então outro em transmissão, que apesar de também não ter uma sinopse que me chamou a atenção, o elenco sim: One more Happy Ending. A história é sobre um Girl Group que se separou devido a desentendimentos da integrante mais popular com as outras quatro. Depois de alguns anos, duas delas são sócias de uma empresa que tem por objetivo ajudar pessoas divorciadas a terem mais um final feliz (entenderam a referência ao título?). Ele é protagonizado por Jang Na Ra (de Fated to Love You), que interpreta Han Mi Mo, uma das sócias que, apesar de estar indo bem no trabalho, não consegue casar novamente e Jung Kyung Ho (de Falling for Innocence) que é um repórter de entreterimento que acaba se envolvendo com a Mi Mo de muitas maneiras. Além disso, tem as outras meninas do Grupo, cada uma com uma vida amorosa mais complicada que a outra. 


Minha opinião: Esse dorama é surpreendentemente engraçado, não esperava tanto. Sério, ri bastante. E as histórias das quatro não são jogadas todas de uma vez, a cada semana a gente entende um pouco melhor sobre as complicações das vidas pessoais e amorosas das meninas. Ainda estou acompanhando, mas confesso que não com o mesmo ânimo do começo. A história dos protagonista não ta lá tão interessante assim. To torcendo mais para ver mais cenas da outra sócia da empresa e o marido dela. Não vou desistir do dorama, mas estou esperando pelas legendas em português.




E, por último, e não menos importante, o meu favorito do momento: Madame Antoine. Ao contrário dos outros que eu não tive interesse instantâneo, esse, logo pela sinopse, já quis assistir. A história é sobre uma mulher, Go Hye Rim, que trabalha como vidente e jura ter uma conexão com o espírito da Maria Antonieta e um psicólogo cético, Choi Soo Hyun, que quer provar a inexistência do amor. Soo Hyun então propõe que Hye Rim faça parte de um experimento. Apesar de ter me interessado pela sinopse, também curti o elenco, é claro. Han Ye Seul já curto desde Couple or Trouble e Birth of a Beauty e Sung Joon, não curti muito em High Society (muito manipulador aquele cara), mas gostei dele em Hyde, Jekyll, Me  em que, curiosamente, ele também interpreta um especialista em problemas psicológicos.