Páginas

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Weightlifting Fairy Kim Bok Joo

Annyeong leitores, como vocês estão? Faz um bom tempo que eu não posto uma resenha completa de um dorama. Em parte porque estou sem tempo para escrever post mais longos e que exigem um pouco mais de tempo como as resenhas. E em parte porque, confesso, há algum tempo não termino um dorama completo (mesmo os doramas que começo a assistir com a maior empolgação perco um pouco do interesse e acabo ficando sem ver os últimos dois ou três episódios). Mas enfim dessa vez vou fazer a resenha de um dorama que acabei de terminar de assistir (ficou redundante?): Weightlifting Fairy Kim Bok Joo




Sinopse: O dorama conta a história de Kim Bok Joo uma jovem halterofilista (levantadora de peso) popular entre seus amigos, mas que não tem nenhum interesse em começar um relacionamento até se apaixonar por um médico especializado em perda de peso. Ela acaba reencontrando um amigo de infância Jung Joon Hyung que agora se tornou muito popular entre as mulheres e um nadador de talento, mas que não vence competições oficiais devido a um trauma. A ex namorada de Joon Hyung é Shi Ho, uma ginasta que sofre com as pressões que o esporte exige.

Não sei se a sinopse ficou muito boa, mas a ideia é essa, o dorama vai acompanhar esses jovens atletas durante o dia-a-dia de treinos, competições e tudo o mais. Bem não sei se já fiz uma resenha nesse formato, mas pra facilitar vou dividir o post em pontos positivos e negativos do dorama.


Pontos Positivos:



Drama leve e divertido:


Se você é uma daquelas pessoas que não curte dramas muito pesados ou que acabou de sair de um e quer ver uma história mais leve e engraçada WFKBJ é uma ótima pedida. O dorama acompanha o cotidiano de jovens estudantes e apesar de cada um ter seus próprios problemas, o que sobressai durante o drama é o modo como os personagens encaram a vida de maneira otimista e esperançosa. A relação entre os personagens também é muito gostosa de se ver e nos primeiros episódios a rivalidade entre os times de levantamento de peso e as ginastas rendem umas cenas bem engraçadas. 

Ótimos Personagens Secundários:


Esses três quando se juntavam eram ótimos rsrs

Algo que contribui muito para o clima leve acima citado é com certeza os personagens secundários. A família da Bok Joo com todo o orgulho e apoio que eles davam a ela. O treinador da Kim Bok Joon e seus discursos intermináveis e a treinadora que sempre tinha que colocar um ponto final rsrs. Além, é claro, das meninas que formam o trio junto com Bok Joo, a animada Nan Hee e a mais sensata Seon Ok. E não podemos esquecer do Tae Kwon, o amigo festeiro e colega de quarto do Joon Hyung.


Romance SUPER FOFO


O romance em WFKBJ demora um pouco pra rolar, mas quando acontece, gente, é uma coisa muito fofa. Eu realmente adoro como o relacionamento deles não é facilmente abalado por mal entendidos como normalmente acontece nos doramas (spoilerzinho) exceto no último episódio, mas acaba tudo se resolvendo rapidamente (afinal era o último episódio) (fim do spoiler). Outra coisa que eu gosto na relação dos dois protagonistas é que, mesmo antes deles perceberem que estavam apaixonados, os dois mantinham uma amizade incrível. Apoiavam um ao outro nos momentos de dificuldade. A Bok Joo ajudava a animá-lo a superar o trauma e o Joon Hyung apoiava a Bok Joo em praticamente todos os momentos de dificuldade.

Protagonista que não é um Jerk



No começo do dorama jurei que o Joon Hyung ia ser um daqueles personagens que tratam super mal a mocinha. Me enganei redondamente, na verdade acho que no primeiro episódio o Joon Hyung tem motivos de sobra para não gostar da Bok Joo (que acaba o confundindo com um pervertido e causando alguns problemas para ele). Depois que ele lembra de conhecer a Bok Joo desde criança, começa a implicar com ela, como uma pequena vingança. Apesar de toda a implicância fica super na cara que ele está só brincando e que realmente gosta dela (até então como uma amiga) e a relação deles vai evoluindo a cada episódio.


Não há (quase) nenhum personagem sem noção

Se você não aguenta mais ver aquelas sogras que odeiam a namorada do filho sem razão, aqueles parentes que brigam há anos por uma herança, enfim personagens sem educação e que julgam os outros por aparência ou condição financeira, fique feliz porque não há nada disso em Fairy Kim Bok Joo. 
Talvez a única exceção seja a Shi Ho que tem momentos em que fica super sem noção (pequeno spoiler) (ela começa como uma pessoa super simpática, passa a ser uma bitch, mas se redime no final do dorama, além disso é um pouco compreensível que com toda aquela pressão sobre ela, a Shi Ho pirasse um pouco) (fim do pequeno spoiler).


(OBS: Os pontos negativos tem alguns spoilers, principalmente o que fala sobre o final então não leiam pelo menos esse ponto do post se vocês ainda não viram o kdrama ^.^).



Pontos Negativos


Falta de abordagem mais profunda de algumas questões:

Bem, a maioria dos personagens tinha algum tipo de problema, que acabavam de alguma forma prejudicando tanto a vida de atleta quanto a pessoal. O trauma do Joon Hyung, é um dos poucos problemas que é abordado de maneira mais séria, mas mesmo assim, a partir de certo momento não fica muito claro como ele acaba lidando com ele.

Já os demais personagens que sofrem com problemas psicológicos, parecem ser deixados de lado. Shi Ho tem desde os primeiros episódios demostrado sérios problemas psicológicos, alimentares, familiares, financeiros, mas as cenas dela parecem ficar bem soltas e tudo acaba se solucionando do nada. Já a Seon Ok, que tem alguns problemas familiares de repente retorna para a faculdade sem uma grande explicação ou uma grande solução. 

Final dos personagens Secundários:

O final dos protagonistas foi como todo o dorama fofo e leve e todas aquelas cerimônias de formatura foram muito divertidas. Porém, senti falta de um foco maior nos personagens secundários. Uma das coisas que mais senti falta foi o final da Seon Ok e o Tae Kwon, que não fica muito claro se os dois ficaram juntos como um casal. Ou se eles continuaram apenas amigos.
Não sei se foi erro de interpretação meu, mas também não entendi bem o fim do Tae Kwon. Afinal ele estava servindo os dois anos obrigatórios no exército durante o salto do tempo de dois anos? Ou ele ia começar a servir depois da formatura? Ou ele abandonou a natação e decidiu se tornar militar?
Outra coisa que achei um pouco estranha foi o fim dos treinadores. Eles só formaram um casal oficialmente depois do salto de dois anos? Ou eles apenas manteram segredo por tanto tempo (a julgar pela reação de surpresa dos alunos)? 

Não que houvesse muita coisa pra ser resolvida no último episódio era um dorama bem simples e sem grandes complicações, mas mesmo assim senti falta de um final mais concreto.

Conclusão


Como devem ter percebido, há muito mais pontos positivos do que negativos nesse dorama. Ele é muito leve (já disse isso várias vezes, mas não encontro outra palavra para descrever essa série), divertido, não é carregado de drama desnecessário, nos faz refletir sobre todas as dificuldades da vida dos jovens atletas e também adimirar quem se dedica ao esporte. Enfim, Weightlifting Fairy Kim Bok Joo é o tipo de dorama que você começa a assistir sem grandes expectativas, mas acaba conquistando por toda a sua simplicidade, personagens cativantes e momentos fofos e divertidos.

Então, queridos leitores é isso, acho que ficou meio longo o post, mas tentei descrever da melhor maneira o que achei do dorama. Se você também foi conquistada pela Bok Joo e seus amigos deixe nos comentários o que achou do dorama e da resenha também. Beijos e até o próximo post!

sábado, 17 de dezembro de 2016

O que estou achando de... The Legend of Blue Sea

Annyeong, leitores! Como vocês estão? Faz tempo que a blogueira aqui não vos escreve, mas com a correria da faculdade nesse ano de 2016 foi bem difícil (praticamente impossível) manter o blog atualizado. Talvez eu faça um post explicando melhor toda essa dificuldade para manter o blog em dia, mas enfim vamos ao que interessa. Meu dorama xodozinho (what?) do momento: The Legend of Blue Sea!




Ai vai nossa queridinha de sempre Sinopse:


O dorama é baseado num conto de um magistrado da Era Jeoson e é nessa dinastia que se passa a primeira história. Dam Ryeon (interpretado pelo Lee Min Ho) chega a uma vila e se torna o administrador (?) do local. Logo ele encontra uma sereia chamada Se Wa (interpretada por Jun Ji Hyun) e ele percebe que há laços que os ligam. Já em 2016, Heo Joon Jae (Lee Min Ho) é um homem que vive de aplicar golpes e encontra uma mulher estranha (Jun Ji Hyun) numa viagem à Espanha.


Não sei se a sinopse ficou muito boa (acho que não), mas vocês entenderam mais ou menos a lógica da coisa, né? kk Bom pra deixar o post mais organizado vou apresentar algumas características dorama que me chamaram a atenção.


Duas Histórias em Uma
A princípio quando comecei a acompanhar o dorama achei que a primeira história teria um começo e fim logo nos primeiros episódios (como duas fases bem determinadas) o que na verdade não aconteceu. Se isso foi bom ou ruim? Bem acho que um pouco dos dois. Eu particulamente gosto da dinâmica do nosso casal atual, gosto do Lee Min Ho interpretando um personagem mais politicamente incorreto e gosto da Jun Ji Hyun vivendo uma personagem meio digamos desmiolada? Esses dois me lembraram um pouco a dinâmica do Cha Dae Wong e a Gu Mi Ho de My Girlfriend is a gumiho (um dos meus casais favoritos de kdramas) e por isso toda vez que eu estava empolgada com o século 21 e surgia Jeoson na tela não curtia muito. Porém o casal de Jeoson tem toda aquela vibe romântica e dramática todo aquele história de amor impossível que também tem o seu charme. Além disso, sem querer da spoiler, mas a medida que você for acompanhando o dorama as duas histórias vão tendo uma relação maior (assistam e vocês entederão).

Elenco e Personagens


Lee Min Ho

Embora o Lee Min Ho seja muito querido pelas fãs eu particularmente não sou muito fã dele, ou melhor não era até assistir TLOBS. Portanto, o fato dele estar no elenco foi um estímulo para que eu desse uma chance e tentasse finalmente encontrar um drama dele que eu realmente adimirasse sua atuação.


Aqui o Lee Min Ho me conquistou principalmente pela parte mais cômica de um dos personagens, o Heo Joon Jae. Foi muito divertido acompanhar as fugas do primeiros episódios e como ele sempre achava que estava sendo um herói. Também gostei dele não ser um típico personagem que se acha superior por ser rico ou vir de uma família rica. Em alguns momentos ele fazia algumas coisas que me faziam passar certa raiva, mas no fundo dava pra perceber que na verdade ele era mais uma boa pessoa (como a personagem da JI Hyun costuma dizer) que acabou fazendo coisas não tão boas ao longo do tempo e no fim ele consertava as burradas que ele fazia. 

Bem, o outro personagem do Min Ho não me cativou tanto assim, ele é aquele típico personagem que sempre ta lá pra salvar a mocinha do vilão. Não achei ele tão digamos... interessante, mas é um personagem que está de acordo com o contexto. De qualquer forma, eu gosto de como ele é bem mais sincero quanto aos seus sentimentos pela Se Wa do que o Joon Jae quanto a Shim Cheong (Ji Hyun no século 21). 
Falando da personagem da Jun Ji Hyun vamos falar um pouco mais dela e das suas personagens.

Jun Ji Hyun

Com a Jun Ji Hyun, eu tenho mais ou menos a mesma opinião quanto a atuação dela, apesar de achá-la carismática e fazer trabalhos legais (como no clássico My Sassy Girl) nunca me surpreendi com a atuação em si dela. Em The Legend of Blue Sea, acho que ela também fez bem nas suas duas personagens, assim como o Min Ho.

O que posso falar da Shim Cheong? É um dos meus tipos de personagem favoritos: alguém que parece que veio de outro mundo (no caso veio do oceano) e que começa a se adaptar ao século 21 o que nos rende momentos divertidos. Gosto da pureza desse tipo de personagem que confia de verdade na outra pessoa e essa confiança é tão grande que o outro, no caso o Joon Jae, acaba não conseguindo decepcionar. Parece meio contraditório, mas ao invés da Cheong confiar no Joon Jae porque ele é confiável o Joon Jae se torna confiável por causa de toda a confiança que ela deposita nele, e esse é o meu tipo de relação favorita num kdrama.

A personagem de Jeoson, Se Wa, é como o Dam Ryeong uma personagem mais séria e menos cômica. Entretanto, ela também tem sua pureza que ela demonstra no seu amor puro (pureza, puro rsrs) em relação ao Dam Ryeong. Também é uma dinâmica interessante e provavelmente mais romântica do que a do casal da Seoul atual.

Fantasia
Então, leitores, não sei se vocês perceberam, mas eu sou uma fã de fantasia em dorama. Eu adoro todas essas histórias de seres místicos como sereias, gumihos, fantasmas, goblins (essa vai render outro post) e tudo o mais. Eu sempre fico com um pé atrás quando a história é aquele basicão mulher pobre e CEO ou menina pobre e menino herdeiro da maior empresa do país, então quando tem algo há mais como um ser mágico ou uma viagem no tempo sempre me empolgo mais para assistir. Com Legend of The Blue Sea não foi diferente, quando fiquei sabendo que a temática seria sereia corri para assistir. E é claro até agora (porque ainda está em transmissão, gente) o dorama não me decepcionou e toda essa questão de os dois serem de mundos diferentes rende ao mesmo tempo cenas super divertidas, com a Shim Cheong se adaptando a um novo mundo, como cenas dramáticas e até românticas quando eles percebem todo o desafio de viver esse amor e como ele deve ser forte para superar as diferenças entre eles.

Gente, o post era pra ser curtinho só pincelando sobre o dorama, mas como sempre acabei falando muuuuitto mesmo. Espero que vocês continuem acompanhando o blog e espero que não se zanguem com esse meu sumiço.

Ah e assistam The Legend Of Blue Sea quando puderem recomendo muito.

Beijos, chingus e até o próximo post.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Doramas em transmissão

Annyeong, leitores! Fiz esse post para comentar os doramas que estou assistindo e ainda estão em transmissão. Na verdade, no começo eu só assistia dramas concluídos, para evitar o sofrimento de ter que esperar os episódios serem lançados, traduzidos para o inglês, para o espanhol e só então para o português. Mas de uns tempos pra cá (começou com My Love From The Star) comecei a acompanhar os dramas em transmissão. Isso tem seu lado ruim é claro, mas também tem seu lado bom. É possível, por exemplo, comentar sobre os lançamentos e não ter que tentar ao máximo fugir dos spoilers. Também tem o extra de que, se assim como eu você não aguenta esperar pelas legendas em português, pode-se treinar o inglês assistindo os subitítulos em inglês mesmo.

Mas vamos ao que interessa, os doramas em transmissão:

Comecei 2016 assistindo Cheese In The Trap, apesar de não ter me interessado tanto pela sinopse, vi muitos comentários positivos então dei uma chance. No começo, gostei muito daquela vibe meio misteriosa. Não da pra saber se o Sunbae é estranho ou se a Hong Seol que é paranóica. Porém, depois de um tempo perdi o interesse. Talvez por ser baseado em um webtoon, parece que há um somatório de pequenas histórias e não uma história só com início, meio e fim, como a maioria dos kdramas. Além disso, muitos personagens vão sendo introduzidos, mas parece que não há espaço para todos então alguns personagens aparecem e dão aquela sumida. Não sei, não gostei muito. Talvez dê uma chance para ele mais tarde, mas por enquanto dei uma pausa, apesar dos personagens serem interessantes, senti falta de uma história base.
Doramas que você não pode perder em 2016 de jeito nenhum!



Comecei então outro em transmissão, que apesar de também não ter uma sinopse que me chamou a atenção, o elenco sim: One more Happy Ending. A história é sobre um Girl Group que se separou devido a desentendimentos da integrante mais popular com as outras quatro. Depois de alguns anos, duas delas são sócias de uma empresa que tem por objetivo ajudar pessoas divorciadas a terem mais um final feliz (entenderam a referência ao título?). Ele é protagonizado por Jang Na Ra (de Fated to Love You), que interpreta Han Mi Mo, uma das sócias que, apesar de estar indo bem no trabalho, não consegue casar novamente e Jung Kyung Ho (de Falling for Innocence) que é um repórter de entreterimento que acaba se envolvendo com a Mi Mo de muitas maneiras. Além disso, tem as outras meninas do Grupo, cada uma com uma vida amorosa mais complicada que a outra. 


Minha opinião: Esse dorama é surpreendentemente engraçado, não esperava tanto. Sério, ri bastante. E as histórias das quatro não são jogadas todas de uma vez, a cada semana a gente entende um pouco melhor sobre as complicações das vidas pessoais e amorosas das meninas. Ainda estou acompanhando, mas confesso que não com o mesmo ânimo do começo. A história dos protagonista não ta lá tão interessante assim. To torcendo mais para ver mais cenas da outra sócia da empresa e o marido dela. Não vou desistir do dorama, mas estou esperando pelas legendas em português.




E, por último, e não menos importante, o meu favorito do momento: Madame Antoine. Ao contrário dos outros que eu não tive interesse instantâneo, esse, logo pela sinopse, já quis assistir. A história é sobre uma mulher, Go Hye Rim, que trabalha como vidente e jura ter uma conexão com o espírito da Maria Antonieta e um psicólogo cético, Choi Soo Hyun, que quer provar a inexistência do amor. Soo Hyun então propõe que Hye Rim faça parte de um experimento. Apesar de ter me interessado pela sinopse, também curti o elenco, é claro. Han Ye Seul já curto desde Couple or Trouble e Birth of a Beauty e Sung Joon, não curti muito em High Society (muito manipulador aquele cara), mas gostei dele em Hyde, Jekyll, Me  em que, curiosamente, ele também interpreta um especialista em problemas psicológicos.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Irmãs Hong

Annyeong, leitores! Faz algum tempo que não posto no blog (mianheyo), então decidi voltar falando dessas roteiristas que são provavelmente as mais conhecidas entre nós, dorameiros.

Hong Jung Eun e Hong Mi Ran são duas irmãs responsáveis por doramas de sucesso e são conhecidas por usarem o clichê a seu favor.

Bem, pode-se dizer que sou uma fã de carteirinha dessas duas afinal estou terminando de assistir o meu sétimo dorama delas e posso dizer que gostei de praticamente todos, é, claro com uma ou outra excessão.

O primeiro trabalho delas foi Delightful Girl Choon-Hyang de 2005, mas como não assisti ainda não tenho como comentar. (Se alguém tiver um link pode deixar nos comentários que tenho dificuldades para achar rsrs) 


O segundo foi My Girl, que foi transmitido entre 2005 e 2006 e é uma típica história romântica com clichês, comédia, romance e drama na medida certa. A história é sobre uma jovem Joo Yoo Rim que sempre que precisa conta uma mentira. Como seu pai tinha muitas dívidas, para se livrar dos agiotas ela sempre acabava tendo que mentir e isso virou um hábito. Quando o neto (Seol Gong Chan) de um homem rico  que estava a beira da morte descobre que o último desejo do avô é ver a neta desaparecida, ele oferece dinheiro para que a Yoo Rim finja ser sua prima. 

Apesar de não ser ruim, My Girl não é um dos meus favoritos trabalhos das Hong Sister, mas com certeza vale a pena conferir. Acho que com o tempo elas foram se aperfeiçoando e o enredo foi ganhando um rítimo melhor.E como esse é um dos primeiros acabou não me cativando tanto quanto outros mais recentes.

Couple or trouble ou Fantasy couple, também de 2006 foi o terceiro trabalho das duas. Ele foi baseado em um filme estadunidense e, na minha opinião é um dos que mais foge dos clichês. A história é sobre uma mulher rica e arrogante (Jo Ah Na) que praticamente ninguém gosta, mas todo mundo tem que aturar. Depois de muitos mal entendidos ela cria uma richa com um faz-tudo (Jang Cheol Soo). Quando ela sofre um acidente e perde a memória o único que a reconhece é o tal Cheol Soo, que decidi mentir para ela dizendo que eles eram namoradas e fazê-la cuidar da casa e tomar conta dos sobrinhos dele de graça. É claro que o tiro sai pela culatra e Ah Na (que passa a ser chamada de Sang Shil) acaba dando muito mais prejuízo do que lucro para ele.

O interessante de Fantasy Couple é que ao invés de termos uma mocinha pobre e um mocinjo rico é justamente o contrário e o melhor é ver como a Na Sang Shil (ou Jo Ah Na) se tornando uma pessoa melhor e mais preocupada com os outros, que se preocupa menos com coisas superficiais e da mais valor aos pequenos prazeres da vida.

Em 2008, Hong Gil Dong foi lançado, esse é outro que eu ainda não assisti e por isso não posso comentar. Pequena observação, no elenco esta Jang Geun Suk, que protagonizaria o próximo dorama das Hong

E em 2009, acredito eu que o maior sucesso das Hong Sisters (e também o meu favorito) foi You're Beautiful que eu já fiz resenha aqui no blog Link para o post aqui


My girlfriend is a gumiho (2010) foi outro grande sucesso protagonizado pelo Lee Seung Gi e pela Shin Min Ah. A história é sobre uma Gumiho (raposa de nove caudas) super fofa que acaba sendo libertada pelo aspirante a ator de filmes de ação Cha Dae Wong. A Gumiho então passa a perseguí-lo por todos os lados ameaçando devorá-lo se ele não der carne para ela. Como o Dae wong não pode revelar a identidade da Mi Ho (como ele passa a chamá-la) todos começam a suspeitar que eles sejam namorados.

Com certeza o mais fofo dos doramas das irmãs Hong e que compete com You're Beautiful pela primeira posição (na minha opinião). Além disso, foi através dele que conheci esses dois super atores, super carismáticos e que acabei virando fã, é claro.

Em 2011, foi lançado The Greatest Love, que, admito, resisti bastante antes de assitir. Apesar dos comentários positivos a temática era muito parecida com de YAB e achei que ficaria muito parecido e não teria tanta graça assim. Engano meu porque o que esse dorama mais tem é graça. A comédia é ótima, cenas muito divertidas e personagens bem interessantes. Ainda não terminei de assistir, começei semana passada, mas já estou amando esse drama. (já era fã da Gong Hyo Jin desde Master's Sun e agora vou tentar acompanhar os trabalhos do Cha Seung Won). 

A história é sobre uma cantora (Gu Ae Jung) em decadência e um ator muito popular (Do Go Jin) que, por causa de uma cirurgia cardíaca de 10 anos atrás sempre que escuta a música de maior sucesso da Gu Ae Jung, seu coração começa a bater acelerado e ele não sabe se é pela canção ou pela própria Ae Jung

2012 foi o ano de Big, que foi praticamente o único que eu não gostei tanto assim. Apesar da história ser interessante e ter tudo pra dar certo acabou não desenvolvendo bem e o dorama ficou um pouco arrastado. 

A história é sobre uma professora (Gil Da Ram) que está preste a se casar com um médico (Seo Yoon Jae), mas o noivo não parece muito interessadio nos preparativos do casamento. Ela então o chama para uma conversa, mas a caminho de lá ele sofre um acidente. Nesse mesmo acidente estava envolvido um novo aluno dela (Kang Kyung Joon). Quando o noivo dela acorda descobre que na verdade o Kang Kyun Joon é quem está no corpo dele.

Master's Sun, outro que eu adoro, é de 2013. A história é sobre uma mulher (Tae Gong Shil) que enxerga fantasmas e isso acarreta diversos problemas. Quando ela descobre que se ela tocar Jong Jung Won, um CEO que só pensa em dinheiro, os fantasmas desaparecem, Tae Gong Shil vai fazer de tudo para usá-lo como um escudo para fantasmas. 

Mais um dorama de sucesso e super divertido, que consegue usar bem os clichês para criar uma ótima comédia romântica. Foi através dele que conheci a já citada Gong Hyo Jin e outro ótimo ator o So Ji Sub, além disso, pude rever o Seo In Guk (de quem sou fã desde Answer me 1997).

E pra fechar a lista de doramas das Hong há Warm and Cozy, de 2015, que ainda não assiti também e portanto não irei comentar.


Então é isso, chingus. Se eu terminar de assistir os doramas que restam dessa lista dou uma passadinha aqui para atualizar o post. Espero que tenham gostado e novamente me desculpem pela demora para postar. Se você ainda não viu nada das Hong espero que esse post possa incentivâ-los a ver. Beijos até o próximo post.

domingo, 19 de abril de 2015

Primeiras impressões Falling for innocence

Annyeong, leitores! Como vão vocês? Hoje vou fazer um post curtinho por falta de ânimo para fazer resenha. Mas, voltando ao assunto do post, as minhão primeiras impressões do dorama estão sendo boas. Aí vai uma sinopse feita por mim para que vocês fiquem sabendo do que se trada o k-drama.

Sinopse:
"Min Ho torna-se um homem sem escrúpulo, enquanto tenta recuperar a empresa de sua família, que foi tomada pelo tio. Mas, após um transplante de coração, ele começa a agir de forma inabitual, inclusive se interessando pela sua secretária Soon Jung."

Minha opinião: A princípio o dorama não parecia fugir muito do tradicional: um chaebol arrogante, a mocinha mais pobre, mas simpática e uma relação que começa com o pé esquerdo, porém tende a melhorar. As coisas só começam a mudar mesmo no terceiro episódio quando a sinopse se realiza. Gostei da atitude da Soon Jung no começo do drama, mas também não consegui odiar o Min Ho já que logo a gente fica sabendo porque daquele rancor todo e fica claro que, na verdade, ele só está tentando se prevenir de uma traição. Ma Dong Wook foi uma surpresa bem agradável, gente, um amor de pessoa esse cara. Spoiler meio óbvio: pena que ele tem que morrer para dar o coração para o Min Ho. Achei que a mudança do Min Ho foi meio brusca e houve muuuito destaque pra toda aquela briga política dentro da empresa, que eu tinha que me esforçar para entender. Espero que a interação entre o Min Ho e a Soon Jung ganhe mais destaque porque acho que eles tem tudo para formarem um casal bem legal. Ah, e é claro que foquem um pouco mais no desenvolvimento dos personagens e não tanto em quem vai ficar com a empresa. O Min Ho rendeu algumas cenas divertidas com todo aquela crise existencial, mas queria vê-lo querendo mudar por ele mesmo e não sendo "forçado" pelo seu novo coração. 
Resumindo, na minha opinião o dorama é legal, apesar de pecar em alguns detalhes. Já estou morrendo de curiosidades para acompanhar o próximo capítulo. Espero que tenha gostado do post e até a próxima! ;)